sábado, 12 de agosto de 2017

Festival de Krishna

“Desiste de todas as obrigações religiosas, e toma-Me como teu único refúgio. Eu te libertarei de todas as dificuldades. Não te aflijas.” – Bhagavad Gita


"Nunca os devotos mergulharam tanto no Divino Amor quanto na Era de Krishna. Milhares de devotos fundiram-se com Sri Krishna durante Seu período na Terra. Então, se desejam fundir-se com a Divindade, o canto devocional é o único meio. Diz-se que Deus se agrada da canção devocional. O Avatar Krishna é o melhor exemplo dessa declaração. O simples Nome ‘Krishna’ cantado por um devoto é suficiente para comovê-lO. As brincadeiras, curas e milagres realizados pelo Senhor Krishna durante Seu período como Avatar não têm igual." - Sathya Sai Baba

Krishna Janmashtami, o Festival dedicado a Krishna, é celebrado este ano no dia 14 de setembro.

Pela capital influência de Krishna na cultura hindu, é também um dos festivais de maior pompa e relevância no calendário da Índia.

Quem foi Krishna?

 O Avatar Krishna nasceu em Mathura, na Índia, no ano 3227 AC. Segundo conta a tradição, antes do nascimento de Krishna, a Índia estava sob o jugo de diferentes demônios disfarçados em reis. Nesse tempo, uma divindade conhecida como Bhumi foi até o Senhor Brahma e contou-Lhe dos estragos e calamidades provocados pelos reis adharmicos...

Foi então que a face Suprema da Personalidade de Deus, Vishnu, o Preservador, revelou sua própria descida à Terra, nascendo como Krishna, revelando-se logo aos pais, Devaki e Vasudeva, como Vishnu.

“Quando o declínio alcança o dharma estabelecido, Eu, deixando o estado nirakara (infinito), encarno como narakara (finito). A fim de reviver e proteger os bons e, mais ainda, a fim de salvar do medo aquele que é bom, Eu encarno.” (Krishna)

Conhecido por sua beleza incomparável, Krishna passou toda a Sua infância e juventude nos bosques de Brindavan, às margens do rio Yamuna. É representado geralmente tocando uma flauta, com a qual encanta todas as criaturas viventes. Em muitas dessas representações, aparece ao lado de Radha, sua contraparte feminina, a preferida das devotas (Gopis).

Krishna e a Bhagavad Gita

A importância de Krishna foi vital nos acontecimentos épicos que modificaram toda a história do Oriente.

Krishna imortalizou-se nos Vedas, as escrituras sagradas do hinduísmo. Vedas vem do sânscrito e significa “saber”. É composto de vários livros, aparentemente independentes, mas com um profundo elo de ligação entre si. Um desses livros é o famoso Mahabharat (a grande guerra dos bharat ou hindus). A Bhagavad Gita é apenas um capítulo do Mahabharat; porém, é considerada a essência do conhecimento védico. Retrata o diálogo entre Krishna e seu mais poderoso discípulo, o herói Arjuna, o arqueiro supremo, na famosa batalha de Kurukshetra, a luta do bem contra o mal, dos Pandavas (os bons, defensores da virtude, que protegiam a lei do dharma) contra os Kauravas (os amorais e perversos que colocavam em risco a harmonia e a ordem).
 

“Você imagina que se engajar na guerra é pecado. É um grande erro. Pecado, por outro lado, é perder a chance de destruir o perverso, prolongando assim a agonia dos virtuosos. Abandone seu dharma agora e correrá o risco de cair em perdição. Cumpra-o, e seja imune ao pecado. Tenha sua mente firme e não ceda lugar a uma ou outra dentre todas as dualidades do mundo.”

Com essas palavras, o Senhor Krishna estimula e convence o vacilante Arjuna a enfrentar o exército inimigo. É então que começa a Bhagavad-Gita, o Canto Divino, assim chamado por conter as palavras de Krishna, a divindade encarnada, e por ensinar o homem a elevar-se acima da consciência humana até uma consciência divina superior, realizando desta forma na Terra o reinado dos céus.

Inspirado por Krishna, Arjuna é conduzido à vitória. Significa que todo aquele que permitir que a “Canção do Senhor” ecoe em seu íntimo será sempre vitorioso, pois, instalado em nossos corações, o Senhor Krishna estará realizando o maior de todos os Seus milagres: libertar-nos do sofrimento, fazendo-nos reconhecer a Felicidade que é nossa Verdadeira Natureza.

Sai Baba e Krishna

Muitos sábios e místicos hindus consideram o Avatar Sathya Sai Baba como uma reencarnação de Krishna. No livro de Sri Aurobindo denominado "Sri Aurobindo sobre Si mesmo e a Mãe", ele escreveu: 

"Um poder infalível deverá conduzir o pensamento. Em corações terrestres, acende o Fogo do Imortal; até a multidão deve ouvir a voz."

Sathya Sai Baba nasceu no dia 23 de novembro de 1926. No dia seguinte, 24 de novembro, Sri Aurobindo saiu do seu transe meditativo para contar a boa nova aos devotos, noticiando a volta de Krishna.

Palavras de Bhagavan Sri Sathya Sai Baba


"Krishna é a personificação do Amor. A própria palavra 'Krishna' significa aquele que atrai -- 'Karshatiti Krishna' (Krishna é aquele que atrai). 'Krishyatiti Krishna' (Krishna é aquele que cultiva) é outra derivação para o nome. Isso significa que Krishna é o Senhor que cultiva o coração do devoto, removendo as ervas daninhas, plantando a semente das boas qualidades e cultivando a colheita de amor. 'Kushyatiti Krishna' significa: Ele é aquele que confere o deleite. Krishna, portanto, significa aquele que cultiva o nosso coração e produz nele a safra da bem-aventurança."

"Ver dois onde somente existe um é maya (ilusão) ou ignorância. A ignorância que envolveu Arjuna em aflição era desta natureza – ver muitos quando só há um."

"Krishna simboliza aquele que plantou as sementes da paz nos corações das pessoas, distribuindo os seus frutos entre os seres humanos." 

"A mensagem da vida do Senhor Sri Krishna é a supremacia do Princípio do Amor. Esta mensagem é tudo aquilo que o mundo precisa. Krishna é a encarnação do Amor. Este amor pode ser entendido somente através do amor. Ele é forte, brilhante e inquebrantável, como um diamante. É extremamente precioso. Se você quiser assegurar tal amor Divino, seu amor por Deus deve ser igualmente forte, porque você só pode cortar um diamante com outro diamante. O amor gera amor. O ódio só pode gerar ódio. Portanto, se quer nutrir o amor, você tem que se livrar do ódio, da inveja e da raiva." 

“Quando se está cheio de Amor Divino, todas as dores e problemas serão esquecidos. É para propagar esse princípio do Amor Divino que adventos de avatares ocorrem de tempos em tempos. O princípio do amor altruísta é a essência de Krishna Tattva (Princípio de Krishna).”


Entoemos o mantra: Klim Krishnaya, Govindaya, Gopijanavallabhaya Swaha!

Klim: terra.
Krishnaya: água.
Govindaya: fogo.
Gopijanavallabhaya: ar.
Swaha: éter (ou akasha).


Hare Krishna, Hare Krishna, Krishna Krishna, Hare Hare!
(Salve Krishna!)


FELIZ DIA DE KRISHNA!

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Dia Mundial do Meio Ambiente


"A vida humana encontrará realização somente quando o equilíbrio ecológico for mantido. O equilíbrio na vida humana e o equilíbrio na Natureza são igualmente importantes."

“As desventuras do homem criaram vários problemas para toda a humanidade. Ele poluiu os cinco elementos, causando a destruição na Terra. Há poluição em todos os lugares – no ar, na água, nos alimentos e em tudo o mais. Seus maus atos, associados com seus pensamentos e sentimentos ruins, degradaram a vida humana na Terra. Se o homem agisse de uma forma correta, não haveria poluição, absolutamente."


"O homem é uma parte da comunidade humana. A humanidade é uma parte da natureza. A natureza é um membro de Deus. O homem não reconhece essas interrelações. Hoje, os homens estão esquecendo suas obrigações. O Cosmo é um organismo integral de partes interrelacionadas. Quando cada um executa seu dever, os benefícios estão disponíveis para todos. O homem tem direito somente a cumprir suas obrigações e não aos frutos delas. O homem é uma espécie de diretor de palco do que acontece na natureza. Mas esquecendo de suas responsabilidades, o homem luta por direitos. É tolice lutar por direitos sem cumprir suas obrigações. Todo o caos e todos os conflitos no mundo devem-se ao fato de os homens terem esquecido suas obrigações. Se todos cumprirem seus deveres diligentemente, o mundo será pacífico e próspero."

“Vocês são uma parte da Natureza. Quando investigarem a verdade sobre os cinco elementos básicos, perceberão que eles também estão dentro de vocês. Vocês devem se esforçar para fazer um uso adequado destes elementos e santificarem suas vidas.”

(Bhagavan Sri Sathya Sai Baba)

sexta-feira, 12 de maio de 2017

Dia das Mães

Sathya Sai e sua divina mãe Eswarama
"Não há mães permanentes no mundo; a única mãe permanente é a Mãe Divina. Você deve sempre se lembrar de que é parte de uma família espiritual."

(Sai Baba)

Bhagavan Sri Sathya Sai Baba, durante o período em que viveu entre nós como qualquer mortal, falou incansavelmente sobre a necessidade de reverenciarmos nossas mães. Reverenciando a mãe biológica estamos reverenciando a Mãe Divina. 

Nesta data dedicada às mães, agradecemos à nossa Grande Mãe Sai por tantos ensinamentos e por tanta paciência com seus filhos. 

Alguns dos ensinamentos sagrados de Sai Baba sobre as mães: 

"É por causa dos nobres sentimentos das mães que as crianças tornam-se virtuosas, inteligentes, alcançam posições elevadas e conquistam nome e fama. A mãe o estimula, alimenta, conhece suas escolhas, preferências e satisfaz todas as suas necessidades. Então, seja sempre grato à sua mãe."

"Os ensinamentos da mãe desempenham um papel vital na construção do futuro de seus filhos. Ela deve fazer todo o esforço para afastar as más qualidades e infundir os valores humanos neles."

"As escrituras ensinam: 'Maathru devo bhava', que significa 'reverencie sua Mãe como Deus'. Você deve reverenciar sua mãe, que o criou com amor, carinho e sacrifício. No entanto, por mais famoso que se possa ser, se alguém não honra sua mãe, não merece respeito."

terça-feira, 9 de maio de 2017

Wesak, o Festival de Buda


"Buda alcançou a visão do Atma. Verdadeiramente falando, Buda não é apenas um indivíduo. Todos vocês são Budas. Você verá a unidade em todo lugar depois de entender essa verdade."

(Sathya Sai Baba)

Na lua cheia de Touro (que este ano cai no dia 10 de maio), comemora-se o Buddha Purnima (Festival de Wesak ou Festival de Buda). É a celebração máxima do budismo, que marca nascimento, iluminação e morte do príncipe Gautama.

É uma ocasião especial para os buscadores espirituais, não somente para os budistas. Segundo as tradições esotéricas, nessa data um imenso portal interdimensional se abre à humanidade, e Buda expande sua luz para todo o planeta.

Momento de reflexão, de mergulho interno, de conexão com a paz interior. Momento de descobrirmos nosso Buda interno, compreendendo que Buda, Jesus, Sathya Sai Baba vivem dentro de nós, pois todos somos UM.

Foto: Celebração do Festival de Buda de 2010, Prashanti Nilayam
O Avatar Sathya Sai Baba, em seu ecumenismo, festejava e louvava igualmente todos os mestres que vieram à Terra trazer mensagens de amor e de expansão da consciência. Meditemos nas suas sábias e eternas palavras.

Sai Baba e Buda

  • "Buda, Jesus Cristo, Shankaracharya, Vivekananda e muitos grandes santos e devotos do Senhor são apreciados na memória das pessoas até hoje. Que qualidade os fez memoráveis para todos os tempos vindouros? Foi seu caráter. As qualidades que compõem um caráter impecável são: amor, paciência, tolerância, firmeza e caridade. Estes devem ser reverenciados. O caráter é a fragrância da flor da vida; ele dá valor e mérito à vida. As cem pequenas ações que nos permitimos a cada dia cristalizam-se em hábitos; esses hábitos modelam a inteligência e moldam nossa visão e vida. Tudo o que tecemos em nossa imaginação, buscamos em nossos ideais e ansiamos em nossas aspirações, deixam uma marca indelével na mente. Poetas, pintores, artistas e cientistas podem ser grandes, cada um em seu próprio campo, mas sem caráter, eles não podem ter reputação na sociedade." 
  • “A ênfase do Senhor Buda era inteiramente sobre a pureza em todos os aspectos da vida cotidiana. Pureza na visão, pureza de pensamento, pureza na fala e pureza na ação. Ele considerou o espírito de sacrifício como a verdadeira oferenda sagrada (Yajna). Sacrifício é o meio para atingir o Nirvana, a liberdade da escravidão da existência mundana. Buda era totalmente contrário a qualquer pessoa ser forçada a levar uma vida mundana contra a sua vontade. A oração Budista deve ser devidamente compreendida. Quando os budistas dizem: "Buddham gachchaami sharanam, Dharmam gachchaami sharanam, Sangham gachchaami sharanam," o verdadeiro significado da oração é: deve-se conduzir o Buddhi (intelecto) para o Dharma (Retidão). E a retidão deveria ser destinada a servir à sociedade. Quando isso for feito, a sociedade se purifica.” 
  • "Buda experimentou a unidade de toda a criação. Houve Nele transformação total uma vez que alcançou a visão de Ekatma (unidade do Atma). Ele percebeu que todas as relações mundanas eram falsas. Ele transcendeu a consciência corporal. É por isso que ganhou o título de Buda (o iluminado)." 
Podemos nos sintonizar nessa energia através de mantras, preces e cânticos. O poderoso mantra budista Om Mani Padmi Hum (da lama nasce a flor de lótus), significa que recebemos a jóia da consciência divina no centro do nosso chakra da coroa(o Lótus é o chakra).

Para ouvi-lo e entoá-lo, acesse o link:



FELIZ BUDA PURNIMA!

domingo, 7 de maio de 2017

Dia Internacional do Silêncio

Bhagavan Sri Sathya Sai Baba valoriza e recomenda o silêncio como meta e realização do buscador espiritual. Assim, no Dia Internacional do Silêncio, meditemos nas suas sábias e atemporais palavras:


Sai Baba e o Silêncio


“O silêncio é a fala do investigador espiritual. Fala doce e macia é a expressão do amor genuíno. O ódio grita, o medo berra, a vaidade trombeteia. Mas o amor canta canções de ninar; ele suaviza e acalma. Pratique o vocabulário do amor e desaprenda a linguagem do ódio e do desprezo.”

"Seja silencioso consigo mesmo; isto induzirá os outros ao silêncio."

“O que é o silêncio (Mounam)? Não é apenas manter a boca fechada! Significa escapar da influência de todos os sentidos e estar sempre estabelecido na consciência de sua própria Realidade. Quando a mente se retira do mundo exterior a língua também se silencia. Todos os outros sentidos acompanham essa condição. Esse é o silêncio genuíno.”

“Gaste alguns minutos, de manhã e à noite, no silêncio do seu próprio lar com Deus. Esteja em Sua companhia enobrecedora e inspiradora, adore-O mentalmente, e oferte a Ele todo trabalho que você faz. Quando sair do silêncio, você será mais nobre que antes.”

“Mantenha sempre o mantra na mente: isto afastará o falar desenfreado, a conversa inútil, a intriga e o escândalo. Fale somente quando for totalmente necessário. Fale o menos possível.”

“Fique em silêncio; isso induzirá o silêncio nos outros. Não adquira o hábito de gritar, falar alto ou por muito tempo. Reduza ao mínimo os contatos. Leve com você uma atmosfera de contemplação silenciosa, onde quer que esteja.”

“Efetue todos os acordos com o mínimo de fala e elimine o ruído. Não grite para as pessoas que estão longe, vá perto delas ou convide-as a se aproximar de você. Barulho é um sacrilégio no céu.”

“Não entrem em discussões e disputas; aquele que clama em voz alta não compreendeu a verdade, acreditem! O silêncio é a única linguagem do realizado.”

“Em momentos de raiva, pratique o silêncio. Nossos anciãos ensinaram: fale menos, trabalhe mais. Quanto menos você fala, mais puro seu coração permanece.”

“Você sente a presença de Deus quando o silêncio reina. Na excitação e na confusão do mercado, você não pode ouvir Seu Passo. Ele é o Som Fundamental (Shabdabrahma) ressoando quando tudo mais está preenchido pelo silêncio. Por isso, insisto no silêncio, na prática de falar baixo e do mínimo som. Fale baixo, fale pouco, fale aos sussurros, de forma doce e verdadeira.”

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Sai Baba e o Trabalho

Todo dia é dia de homenagear Sathya Sai Baba. Hoje, Dia do Trabalho, relembremos as palavras daquele que trabalhou arduamente durante todos os momentos da sua vida terrena, para o nosso despertar espiritual.

Sai Baba e o Trabalho

Muitos de vocês estão perdendo muito tempo em atividades sem sentido. Tempo desperdiçado é vida desperdiçada. Nossos antigos consideravam Deus como a personificação do tempo e O exaltavam assim: Kalaya Namah, Kala Kalaya Namah (Saudações à Personificação do tempo, O que conquistou e transcende o tempo). Não se esqueçam da verdade de que o tempo é verdadeiramente Deus. 

Vocês esperam ansiosamente por um domingo, pensando que podem relaxar e desfrutar. Na verdade, vocês devem se sentir tristes por estarem perdendo tempo sem fazer qualquer trabalho no domingo. Utilizem seu tempo de forma adequada. Se não têm algum trabalho, realizem serviço social. Quando seus sentimentos forem puros e utilizarem bem seu tempo para realizar ações nobres, suas vidas serão santificadas e todo o trabalho que fazem será transformado em adoração.

Faça todo trabalho como uma oferta a Deus. Não classifique um trabalho como “meu trabalho” e outro como “trabalho d´Ele”. Todo trabalho é Dele, pois somente Ele existe e todo este universo múltiplo é apenas Deus visto através do espelho da Natureza. Tudo é para a realização do Supremo e deve ser utilizado para esse propósito. Nada deve ser usado por si próprio, para si próprio. Para os seguidores de Sai, esse é o modo adequado de vida.

Não importa qual seja sua atividade ou que nome e forma você tenha escolhido. Uma corrente é uma corrente, seja de ferro ou ouro. Do mesmo modo, se o trabalho é desse ou daquele tipo, contanto que o Princípio do Eu Superior (Atma Tatwa) seja a raiz, ele sem dúvida será um ato de Retidão (Dharma). Tal trabalho abençoará a pessoa com o fruto da Paz interior (Shanti).

Tome a decisão de se aprofundar nas atividades nobres. O trabalho é como uma flor. Se protegermos o broto, a flor crescerá, e tal flor finalmente amadurecerá e se tornará um fruto. É por isso que não devemos considerar o trabalho, a adoração e a sabedoria como distintos uns dos outros. Eles estão inseparavelmente ligados. 

Qualquer trabalho que você fizer, faça-o em nome de Deus, pois então seu trabalho se tornará adoração.

Todo o trabalho deve ser feito no espírito de oferecimento a Deus. Não se deve ficar ocioso. Qualquer trabalho que se faça deve ser feito com um sentimento de amor. Você pode assumir qualquer trabalho que seja adequado às suas aptidões e capacidades.

sexta-feira, 28 de abril de 2017

Dia Mundial da Educação

Hoje, Dia Mundial da Educação, impossível esquecer Aquele que fez da educação o pilar principal da sua sagrada missão aqui na Terra. 

Quando vemos o caos social em que se encontra o mundo, compreendemos as suas palavras, quando dizia que a humanidade não pode prosperar esquecendo os valores humanos. 

Por isso ele criou um programa para ensinar valores humanos, o Educare, cuja excelência é atestada por todos os que o conhecem e adotam. O Educare é versátil e adapta-se a qualquer cultura, a qualquer tipo de sociedade, daí ter sido adotado, com sucesso, em escolas de vários países de culturas diferentes, inclusive aqui no Brasil. 

Para saber mais sobre o Educare, acesse: http://institutosathyasai.org.br/

Meditemos nas palavras do Avatar:



“A meta da Educação é a formação do caráter. Caráter é a Unidade entre Pensamento, Palavra e Ação. 0 caráter torna a vida imortal. Há quem diga que saber é poder, mas eu digo que caráter é poder.”

“Você deve entender a distinção entre Educação e Educare. Educação é orientada à informação. Educare é orientado à transformação. A Educação é limitada ao nível físico e mental. O Educare está relacionado aos nossos sentimentos internos e pureza de coração.”

“Mesmo depois de adquirir vários diplomas, se não houver pureza no seu coração, você não pode ser chamado de verdadeiramente educado.”

"Da mesma forma como duas asas são essenciais para um pássaro alçar vôo ao céu, e duas rodas são necessárias para uma carroça mover-se, dois tipos de educação, material e espiritual, são necessárias para que o homem atinja seu objetivo na vida. A espiritual destina-se à vida, enquanto a material a um meio de vida. É só quando o homem é equipado com estes dois aspectos da educação que torna-se merecedor de respeito e amor por parte da sociedade."

“A educação deve verter luz e iluminar a escuridão na mente e no intelecto. Ela não representa o mero conhecimento livresco. Ela deve esclarecer o parentesco do homem com o homem e sua relação íntima com a natureza.”

“A educação é a forma de desabrochar as potencialidades morais e espirituais do homem.”

“A educação verdadeira é aquela que outorga, ao homem, a riqueza da moralidade, da espiritualidade e do caráter.”

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Festival de Rama Navami

"Rama foi a Retidão personificada. Ele era a encarnação Suprema das virtudes que se deve cultivar, de modo que se possa levar uma vida ideal." 

(Sathya Sai Baba)


O Hinduísmo celebra (ontem e hoje) o Festival dedicado a Rama, o Rama Navami.

Rama foi um Avatar que viveu na Índia há 8 mil anos. Veio ao mundo para nos dar o exemplo da retidão. É Ele a figura central do Ramayana (épico hindu). Sua contraparte feminina é venerada como Sita, que representa a energia da natureza e simboliza a união do espírito com a matéria.

Sai Baba nos lembra que a história mostrada pelo Ramayana é a mesma história da humanidade, pois a batalha entre o bem e o mal, entre a virtude e a retidão, entre o ódio e o amor, continua sendo travada dentro do nosso ser, na nossa consciência.

O maior devoto de Rama era Hanuman (o macaco-homem), tido até hoje como exemplo de devoção fiel, que se aprimora com o tempo e se fortalece com as provas que precisa atravessar.

Rama significa “Pai Divino”, em sânscrito. Ram é uma corruptela de Rama e faz parte da saudação adotada pelos devotos de Sai Baba, demonstrando-nos toda a profunda ligação entre Swami e Rama.

Palavras do Avatar: 



"O Ramayana ensina a todos os princípios do Dharma (retidão) e o caminho do dever. Embora as eras tenham passado, o Ramayana permanece relevante até hoje, guiando a humanidade pelo caminho da verdade e da retidão.”

“Rama é o Princípio Divino imutável (Atma). Portanto, onde e quando você se lembra do nome de Rama, Ele está lá com você, em você, em torno de você. Rama é a personificação da retidão (Ramo vigrahavan Dharmaha). Você também deve seguir o Dharma (retidão); não o princípio de Dharma que vem da mente, mas aquele que se origina do seu coração.”

“O ensinamento mais importante de Rama era que todos deveriam seguir a Verdade. Rama praticou a Verdade durante toda a Sua vida e alcançou a unidade em pensamento, palavra e ação. Assim, até nos dias de hoje, as pessoas, jovens e velhos, cantam o nome sagrado do Senhor Rama com grande devoção.”

“Quando o código é distorcido e a humanidade mina a sua carreira terrena, esquecendo-se do propósito elevado pelo qual alguém veio, o Senhor encarna e conduz as pessoas pelo caminho correto. O Senhor Rama foi uma dessas encarnações. Ele realmente é a Encarnação da Virtude (Dharma-swarupam) envolto em uma forma humana ilusória; Ele aderiu ao dharma na prática diária, mesmo desde Sua infância. Ele é a personificação do dharma. Não há nenhum vestígio de vício (a-dharma) Nele. Sua Natureza Divina é revelada em Seu temperamento calmo e sentimento de amor e carinho. Medite Nele e você ficará cheio de amor por todos os seres; pense a respeito de Sua história e você notará todas as agitações de sua mente se aquietando em perfeita calma.”

Vídeo de Sai Baba durante Ramayana:



Mantras para Rama:

É importante, ao cantar para Rama, adotar uma postura de abertura ao dharma. Ou seja, o autêntico aspirante espiritual deve ansiar, acima de tudo, pela ação correta (dharma). Rama ajuda a conquistar o dharma.

OM JAY SAI RAMA!
  

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Mahashivaratri 2017

Neste ano de 2017, o Mahashivaratri, ou Grande Festival de Shiva, cairá no dia 24 de fevereiro. É um dos festivais mais concorridos não só em Prashanti Nilayam como em toda a Índia, pelo seu significado transformador. 

Mahashivaratri é um termo sânscrito, composto dos vocábulos Maha + Shiva +Ratri. Maha: grande, importante; Shiva: na Trindade Hindu, é aquele que transforma; Ratri: noite escura.

O Shivaratri ocorre todos os meses, na décima quarta noite da lua, ou seja, o último dia da lua minguante. É uma devoção que inclui jejum e cânticos devocionais.

O Mahashivaratri é um grande Shivaratri. Grande porque nesse período do ano, que se situa entre fevereiro e março, o poder exercido pela lua (chamada lua negra), é menor, em relação ao resto do ano. Daí a grande celebração.

Não podemos falar no Mahashivaratri sem falar no distintivo de Shiva, o Lingam:

Shiva e o Lingam

Shiva é considerado o Deus da fertilidade.

A junção de Shiva com sua contraparte feminina (shakti) Parvati, é representada pelo linga ou lingam (o falo) que, junto ao yoni (útero), formam uma unidade e promovem a dissolução da dualidade.

O significado literal do termo lingam é emblema, distintivo, signo. O lingam, portanto, é o emblema de Shiva, o símbolo fálico, a energia masculina universal, associada ao poder criador divino. Na Índia, cultuar o lingam e cultuar Shiva são a mesma coisa.

O lingam é representado normalmente em forma ovalada e, nos templos, costuma-se pendurá-lo num recipiente contendo um pequeno orifício no fundo, onde a água é derramada sobre ele incessantemente, em forma de reverência.

Em Prashanti Nilayam, o Mahashivaratri sempre foi celebrado em grande estilo. Sathya Sai Baba costumava materializar um lingam (que emergia naturalmente da sua boca), durante os cânticos devocionais, numa demonstração de seu poder e magnitude, provando que Ele e Shiva são Um só.

Sai Baba e a Devoção a Shiva, o Deus da Transformação


Uma vez por ano, no Mahashivaratri, recomenda-se um esforço vigoroso especial de atividade espiritual, de modo que Shavam (cadáver) possa se tornar Shivam (Deus), por meio da conscientização de seu perpétuo Morador Divino. Dedique a vigília dessa noite de Shivaratri à Shiva presente dentro de cada um de vocês. 

A lua é a deidade que rege a mente. A mente é a fonte de todo o emaranhado de desejos e emoções. Hoje, é o décimo quarto dia da metade escura do mês, quando a lua é quase invisível: somente uma fração minúscula permanece visível. Portanto, a mente quase não possui poder neste dia; se somente esta noite for passada em vigília e na Presença do Divino, a mente pode ser conquistada completamente, e o homem pode perceber sua verdadeira natureza. Nesta noite sagrada, a pessoa deve manter a vigília através de cantos devocionais, ou da leitura ou da escuta de textos sagrados. Faça dessa prática, também, a prática para sua vida inteira. 

Quando você compreender “Eu sou Shiva” (Shivoham), então você terá toda felicidade, toda auspiciosidade que existe. Shiva não deve ser procurado no pico de cordilheira de montanhas distantes ou em algum outro lugar especial. Você deve ter ouvido que pecado e mérito são próprios dos atos que os homens fazem; igualmente, Shiva é inerente a cada pensamento, palavra e ação, pois Ele é a energia, a força, a inteligência que está por trás de cada um deles. 

A cada minuto, cada dia, cada noite, você deve pensar na Divindade e santificar seu tempo, pois o Próprio Princípio do tempo é Shiva.

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Sai Baba e a Paz


"A vigilância eterna é o preço da paz e da felicidade."

“As pessoas me procuram dizendo ‘eu quero paz’. Digo-lhes que removam o ‘eu’ que são seus egos. Removam o ‘quero’ que são seus desejos. O que lhes restará é a PAZ.”  

“Se quiserem paz e querem felicidade, devem viver no amor!”

"Quando você se desapegar dos frutos de seu agir, embora agindo, ofertando ao Senhor sua habilidade e energia, alcançará a paz da mente." 

“Sua verdadeira natureza é pureza, paz e contentamento.” 

“Todo o caos e todos os conflitos no mundo devem-se ao fato de os homens terem esquecido suas obrigações. Se todos cumprirem seus deveres diligentemente, o mundo será pacífico e próspero.” 

“A língua está sujeita a quatro grandes erros: proferir falsidade, escandalizar, procurar falta nos outros e fala excessiva. Estes devem ser evitados para que haja paz para o indivíduo, assim como para a sociedade.”

“Verdade é aquilo que deve ser dito, Retidão é o que deve ser praticado, Paz é o que deve preencher a mente, Amor é o que deve se expandir dentro de nós e Não-violência é o que devemos ser plenamente."